top of page

VOCÊ PRECISA APRENDER A VENCER

Quando o esporte entrou na minha vida (e foi cedo porque a minha mãe é uma profissional da Educação Física) a primeira coisa que deixaram muito claro pra mim foi: "Você precisa aprender a perder" ou "O esporte te ensina que nem sempre se pode ganhar". Logo no início, nas primeiras experiências, claro que eu me frustrava ao perder uma partida, porém, seguia repetindo pra mim mesma: "Você precisa aprender a perder"


Bom, ao logo do tempo, de tanto insistir, perder já não era mais algo tão negativo, nos meus tempos de voleibol pelo time da minha escola, eu costumava repetir: "nós demos o nosso melhor", "nós fomos muito bem", "o mérito foi delas", "na próxima vamos fazer melhor".


A verdade é que perder se tornou quase que uma filosofia de vida, pra mim. Não consegui a nota que gostaria na prova, tudo bem, não vou ser titular naquele jogo para o qual me preparei tanto, tá tudo certo. Outra menina ficou com o meu namorado, acontece, você quer a minha vaga de emprego? Pode ficar. Sim, pega o meu lugar na fila, toma a minha comida, o meu dinheiro, as minhas roupas, os meus amigos, o meu tempo, a minha atenção, e tá tudo certo. Aquela pessoa me magoou, mas eu super entendo, está tudo bem.


Ao longo da vida eu me tornei o que costumava chamar de alguém "de boas". Eu repetia pra mim mesma frases como, tudo está certo, tudo é como tem que ser, o que é meu está guardado, não vou me estressar por pouca coisa, minha paz vale muito, não quero queimar meu filme brigando por algo, tá tudo bem se eu não passar na CNH, tá tudo bem se eu não comprar meu carro, minha casa, se não puder viajar, não realizar meus sonhos, não me casar, não tiver grandes amigos, não puder comer as minhas comidas favoritas, não comprar as roupas que eu gostaria, não frequentar os lugares que admiro, não conversar com pessoas interessantes, não for lembrada, não tiver filhos, não ser chamada para a festa de um amigo, não ser querida pelos meus sobrinhos, se ninguém lembrar do meu aniversário, se eu estiver sozinha na virada de ano, o looping ficou infinito. E enfim, absolutamente TUDO foi passando diante dos meus olhos, como uma grande série, sem final, em que absolutamente nada se tornou real.


Vivi imensos quase, quase encontrei o amor da minha vida, quase fiz grandes amigos (ou fiz, mas não sei onde eles estão hoje), quase conquistei o emprego dos meus sonhos, quase que a minha empresa foi bem sucedida, quase que o meu projeto foi aceito e realizado, quase cheguei perto de diversas imensas conquistas. Quase.


A verdade é que eu sempre perdia, em absolutamente todas as vezes, e voltava pra casa frustrada, repetindo pra mim mesma aquela frase que me ensinaram na infância - tá tudo bem, você precisa aprender a perder.


Bom, pula pra 2022, quando ocasionalmente a vida me levou de volta pra dentro de uma quadra de vôlei, vestindo um fardamento e integrando um time. Nas poucas vezes em que entrei em quadra durante o jogo, me senti tomada por um nervosismo absurdo, do qual eu me consolava repetindo: tá tudo bem se você não jogar bem hoje, tá tudo bem se o time perder.


Mas, dessa vez, algo me incomodou, enquanto pra mim parecia estar tudo bem, para as minhas colegas de equipe não. Elas tinham algo que me irritou em um primeiro momento. E tudo o que nos irrita no outro, nos espelha. Elas tinham algo que eu me esforcei absurdamente para adormecer internamente, elas tinham ganas de vencer.


Comecei a observar como elas levavam a vida. Elas, definitivamente, tinham ganas de vencer, não só no jogo, não só na garra de ser uma titular naquele time, mas em todas as áreas da vida. Elas tinham ganas de vencer nos seus trabalhos, nas suas amizades, nos seus sonhos, nos seus relacionamentos. Elas tinham, e tem, um posicionamento irritantemente inabalável, e elas não só tem ganas, como elas de fato vencem.


Eis que, aos 32 anos, eu me dei conta de que a tal da filosofia do perder, a do "tá tudo bem" é, na verdade, uma grande bullshit. Ou seja, uma grande baboseira que te contam na infância, com medo de que você se torne o ser humano egocêntrico e egoísta.


O que você precisa, na verdade, é aprender a vencer. Não dá pra levar a vida, pensando que a perda é aceitável. Não dá pra jogar um jogo, parado, estagnado, esperando o outro time cantar a vitória, você concorda? Se você entrar em um jogo, você vai jogar com a sua vida, primeiro pra não fazer feio, óbvio, segundo, deveria ser, porque você de fato quer, mais do que tudo, vencer.


E bom, pra vencer - seja lá em qual área da sua vida que você pense em vencer - não basta apenas querer, apenas fazer o mínimo, apenas estar presente, você precisa ser o melhor, dar o seu melhor, estar bem, se preparar insanamente, treinar, mas ainda, você também precisa gostar de vencer, estar lá e ganhar, sem dó, sem piedade, sem pensar no outro time, sem calcular o merecimento, sem calcular o nível técnico, você precisa estar lá, presente, de corpo, mente e alma, e querer, mais do que tudo na sua vida, vencer. Você precisa entregar o que tem, o que não tem, o que gostaria de ter, precisa lutar até o final, precisa ser inabalável - nem que dure só por aquele momento - você precisa levar o troféu pra sua casa, expor ele na sua estante, e se vangloriar diante das outras pessoas de que você venceu, e o troféu é seu!


E sim, pode ser que você perca. Ok, a derrota é parte da história de qualquer vencedor. Mas você não pode, em hipótese nenhuma, se conformar com esse resultado. Ele, na melhor das hipóteses, precisa te impulsionar a buscar ser ainda melhor.


Você precisa de sangue nos olhos, fogo no c&, precisa ser inabalável, insuportável, você vai sim se frustrar, vai se irritar, vai se abalar, vai xingar os colegas e os adversários, vai chutar o balde, a bola, o banco, brigar com o treinador, talvez ser expulso uma vez ou outra, vai sentir raiva do seu adversário, vai esnobar e desprezar quem te diz que você não é capaz, ou quem se mostra superior. Você vai sim chorar quando perder, a derrota precisa doer. E se ela não doer, é porque você se tornou um perdedor nato, e isso sim, é um baita de um problema.


Se você quiser ter sucesso no seu negócio ou na sua carreira, se casar com o amor da sua vida, fazer um bom trabalho educando as crianças, ganhar dinheiro, comprar a casa e o carro dos seus sonhos, conhecer os lugares que almeja, enfim, realizar seus sonhos, não se importe de ser insuportável, você só vai chegar lá, se você tiver ganas de vencer.



27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page