top of page

AMIGA DA ONÇA E SORORIDADE PRA QUEM?

Muito se fala sobre sororidade nos tempos atuais, podemos definir sororidade como “a união e a aliança entre mulheres, baseadas na empatia e no companheirismo, em busca de alcançar objetivos em comum. O conceito da sororidade está fortemente presente no feminismo, sendo definido como um aspecto de dimensão ética, política e prática desse movimento de igualdade entre os gêneros.” Segundo o site significados.com.br


E bom, é claro que nós honramos as nossas ancestrais que, a partir da sua união, conquistaram tantos direitos dos quais nós usufruímos hoje, tais como o voto, a liberdade de escolha entre casar, trabalhar, ter filhos, o respeito, o direito de estudar e alçar cargos maiores dentro das empresas, e, nós sabemos que ainda há muito o que trilhar nesta jornada, e por este viés, a sororidade tem todo nosso suporte.


Por outro lado, um conceito extremo de sororidade tal como, nós mulheres, unidas contra o mundo, nos parece um tanto quanto insustentável – veja bem, além de Jesus, diversos outros líderes mundiais tentaram nos convencer da paz enquanto trilhavam sua história: Bob Marley, Buda, Mandela, Ghandi, John Lennon em sua canção Imagine, poderíamos citar diversos se parássemos só pra pensar nisso. E bom, a gente acredita que, todos nós adoraríamos viver sem conflitos em um mundo pacífico. Mas, isso está bem longe de ser real, concordam?


A verdade é que, no dia a dia da gente, tem mulher tentando nos invalidar, tem mulher disputando beleza, tem mulher que não sabe respeitar os limites, o espaço e as conquistas da outra, tem mulher que tem certeza que as suas necessidades são sempre mais importantes que as de qualquer outra mulher, tem mulher que acha que beleza justifica traição, tem mulher se prevalecendo da ingenuidade dos nossos filhos, tá lotado de mulher por ai usando do conceito de sororidade pra encontrar suporte enquanto justifica os valores corrompidos, suas falhas de caráter e questiona a integridade da coleguinha. A gente não sabe na sua, mas nas nossas vidas tá cheio de rapariga que usa dos conceitos da feminilidade pra ser inconveniente, imoral e/ou descarada. E bom, a gente não acredita que precisa tolerar esse tipo de comportamento em prol da paz mundial feminina, convenhamos.


Mulheres precisaram sim lutar pelos seus direitos, mas, as grandes mulheres da história, as quais a gente admira, também precisaram ser muito fortes pra provar suas intenções, já que tinham tantas outras depravando a imagem que elas buscavam construir. E, pra nós, uma mulher de verdade, está muito mais para uma leoa que devora os seus inimigos afim de lutar e defender sua prole e o seu bando, do que uma ovelha inocente que só consegue pensar em não se perder da multidão, e comer pasto na paz de um campo cercado.


A vida lá fora é selva, e não fazenda de luxo, e se eu descuidar por um segundo, pode ser que um dos meus filhotes vire o almoço de algum tigre. Se eu descuidar, Jezabel destrói minha família, corrompe os valores dos meus filhos, planta a semente da discórdia no meu relacionamento, interfere nas minhas amizades, e me convence de que os meus desejos são maiores do que tudo e todos, e de que eu tenho todo o direito de lutar pra que a minha vontade prevaleça acima de qualquer outra.


Agora, analisemos, será mesmo que eu devo me unir as mulheres em uma luta infinita pelos nossos direitos, passando por cima dos meus pais e amigos? Deixar de viver meu sonho de construir uma família porque vejo defeito em todos os homens, porque preciso apoiar as mulheres que não respeitam os meus sentimentos, e acham que, até que eu esteja com um anel no dedo, todo mundo é de todo mundo? Será mesmo que eu devo defender as outras mulheres acima de tudo inclusive quando elas insistem em invalidar minhas crenças e me dizer como devo criar meus filhos, tratar meus pais, ou quem deve ser o meu grupo de amigos?


Meu bem, que fique claro que nós não queremos invalidar nem a voz e nem a luta das mulheres que sofrem a consequência do desrespeito e da falta de valores de um patriarcado estrutural – a gente sabe que isso existe e que estes problemas precisam ser olhados com muita seriedade - mas, não seja ingênua, e não deixa que te convençam de que, proteger, defender e se sensibilizar com outras mulheres está acima dos seus valores, porque não está.

24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page