top of page

ESTÉTICA, BELEZA, HARMONIA E EXCELÊNCIA

Na semana passada, em uma conversa descontraída, ouvi uma amiga fazer o seguinte comentário a respeito da cor que havia escolhido para pintar o portão de sua casa:


"Não ficou feio, ficou diferente, nós só não estamos acostumados a portões pintados com esta coloração"


Algumas vezes nosso olhar está padronizado, é verdade, porém, outras vezes estamos tentando desconstruir um conceito milenar chamado de estética, tentando justificar a nossa falta de conhecimento a respeito. Apesar de todos nós tomarmos decisões estéticas a todo momento, nem todos entendemos que existe teoria por trás da harmonia do que é belo.


A estética em si, é caracterizada como um ramo da filosofia que tem por objetivo o estudo da natureza, da beleza e dos fundamentos da arte, enquanto, a harmonia, é caracterizada como a forma com que esses princípios são aplicados, afim de criar um senso de equilíbrio e uma proporção visualmente agradável.


A estética envolve elementos como cor, forma, textura, linha e distribuição do espaço. Cada um desses elementos pode afetar a percepção da beleza de algo. A cor pode ser usada para criar um senso de energia ou calma, enquanto a forma pode transmitir movimento ou estabilidade. A textura pode ser usada para criar uma sensação de suavidade ou aspereza, enquanto a linha pode ser usada para criar um senso de direção ou movimento.


No entanto, a beleza de algo não depende apenas de como esses elementos individuais são escolhidos. É importante considerar como eles se relacionam entre si e é aqui que entra a harmonia. A harmonia é a maneira como esses elementos são organizados para criar um equilíbrio visualmente agradável.


Enquanto a estética envolve a seleção cuidadosa dos elementos a serem utilizados, a harmonia envolve a organização desses elementos em um equilíbrio visualmente atraente.


As nossas escolhas estéticas e harmônicas compõem um estilo de vida que reflete a nossa personalidade, cultura e estilo pessoal. Essas escolhas podem ser influenciadas por diversos fatores, incluindo a mídia, a família e amigos, as tendências atuais e as crenças pessoais.


A alimentação pode ser uma escolha estética e harmônica importante, pois pode afetar não apenas sua aparência física, mas também sua saúde em geral. Uma dieta equilibrada e saudável pode promover uma pele brilhante, cabelos saudáveis e um peso saudável. Além disso, a escolha de alimentos orgânicos, locais e sustentáveis pode promover uma sensação de harmonia com o meio ambiente.


A moda é outra escolha que nós já fazemos. A seleção das suas roupas, acessórios e sapatos reflete sua personalidade e estilo pessoal. Além disso, a escolha de materiais sustentáveis e marcas éticas, por exemplo, pode promover a mesma sensação de harmonia com o meio ambiente, e com a sociedade.


A beleza é mais uma escolha, a seleção de produtos de beleza, como maquiagem, cuidados com os cabelos e com a pele, pode refletir seus valores pessoais e a sua preocupação com a saúde. Além disso, a seleção de tratamentos de beleza, como massagens e cuidados com as unhas, pode promover uma sensação de equilíbrio e cuidado pessoal.


Também podemos falar sobre a decoração, a seleção de móveis, cores e objetos decorativos pode refletir sua personalidade, o tamanho da sua família, seus costumes e também seu estilo de vida.


Partindo deste ponto, também podemos analisar o que entendemos como feio. A feiura é um conceito subjetivo e relativo, que varia sim, de acordo com as percepções individuais e culturais. No entanto, é possível dizer que a estética e a harmonia podem ter um papel importante na forma como a feiura é percebida e é possível que ela seja associada a uma falta de harmonia e estética.


Assim como, os conceitos de harmonia e estética podem ser utilizados para melhorar a aparência de uma pessoa. Através de escolhas inteligentes como uso de produtos de beleza efetivos ou técnicas de maquiagem, roupas que favorecem o tipo físico, e até mesmo cuidados com a saúde, uma pessoa pode criar uma imagem harmoniosa e esteticamente agradável.


Eu gosto muito de elucidar a história da Rainha Ester, que pode ser vista como um exemplo de como a beleza e a estética são expressões da excelência interior, e não apenas de um padrão superficial ou efêmero. A história de Ester é um relato bíblico que narra a trajetória de uma jovem judia que se torna rainha da Pérsia e salva seu povo da destruição. O livro de Ester é rico em simbolismos e pode ser interpretado de diferentes maneiras, incluindo a relação entre excelência, estética e beleza.


Desde o início da narrativa, Ester é descrita como uma jovem bela e atraente, que chama a atenção do rei Assuero e conquista seu coração. Por conta disso, ela é escolhida para ocupar o trono no lugar da antiga Rainha Vasti. No entanto, a história de Ester não se limita a uma simples exaltação da beleza exterior.


Ester é apresentada como uma personagem que, apesar da sua beleza, não se deixa levar pelo orgulho ou vaidade. Pelo contrário, ela utiliza sua beleza como uma ferramenta para alcançar seus objetivos e salvar seu povo da destruição.


Além disso, a beleza de Ester é descrita como algo que transcende a aparência física, envolvendo uma harmonia estética que encanta a todos que a veem. Essa harmonia pode ser interpretada como uma expressão da sua essência interior, que se manifesta através de uma postura respeitosa, humilde e corajosa diante dos desafios. Ela é uma personagem que, mesmo em momentos de angústia e perigo, mantém-se fiel aos seus princípios e valores, buscando sempre a justiça e a proteção do seu povo.


A história de Ester nos lembra que a verdadeira beleza está na harmonia entre o que é interior e o que é exterior, entre a essência e a aparência. É importante reconhecer que a beleza é uma qualidade que vai além do padrão estético imposto pela sociedade e que envolve a busca pela excelência em diferentes áreas da vida, como o caráter, a inteligência, a coragem e a humildade.








18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page